Força inovadora alemã – Made in Brazil

Tempos excitantes para a indústria automotiva do Brasil

Junho 2013 Ele é uma das cinco nações, que mais rapidamente, cresce no mundo: Brasil. O nome vem da árvore Pau-Brasil, com sua madeira vermelha brilhante. E, de fato, estes não são apenas tempos rosas, mas vermelhos brilhantes para a indústria automotiva do Brasil: o potencial da produção anual de veículos do país, até o ano de 2016 será de até 5,2 milhões de unidades - um aumento de 2 milhões, em relação a 2009. Só para 2016 há uma expectativa de vendas de um total de 4,8 milhões de veículos no Brasil, de acordo com a pesquisa da Roland Berger "The Brazilian automotive industry at crossroads_content".

Esta previsão baseia-se no enorme crescimento da maior economia da América do Sul. Desde o final da década de 90, a ContiTech tem mantido uma fábrica em Ponta Grossa, no Sul do Brasil, que agora deverá ser ampliada.

“Em países que estão passando uma recuperação econômica, o maior desejo das pessoas é ter um carro próprio,” explica Frédéric Sebbagh. Francês nato, Sebbagh é diretor administrativo da unidade comercial de Tecnologia de Fluidos ContiTech e do Controle Antivibração ContiTech na fábrica de Ponta Grossa.

Graças a estas duas unidades, bem como ao Grupo de Transmissão de Energia, a empresa estabeleceu-se como um fornecedor para muitos fabricantes de automóveis, oferecendo um impressionante portfólio de inovadores produtos de alta qualidade. A lista de clientes da empresa lê-se como um "Who's Who", da indústria, que vai da VW do Brasil e a FIAT, à Ford e á MWM International Motors.

A ContiTech cresce com o mercado de automóveis do Mercosul

Para a Tecnologia de fluidos, o Mercosul, o guarda-chuva econômico dos países sul-americanos, é um mercado-chave para as vendas de componentes de tubos e de completos sistemas de tubulação. Não só o Brasil, mas também a Argentina são mercados de grande importância.

"Nossas operações geralmente têm o seu foco sobre os segmentos ar condicionado e direção", explica Frédéric Sebbagh. Como regra, os produtos são desenvolvidos de forma personalizada, já que as exigências do mercado no Mercosul variam muito daquelas de outros países. É por isso que os fabricantes de automóveis oferecem modelos específicos, feitos para atender às demandas sul-americanas.

"Somos especializados no cumprimento destas especiais exigências do mercado. Graças à nossa contínua cooperação e à comunicação com nossos clientes, assim como às nossas capacidades em termos de tecnologia e inovação, deles ganhamos a sua confiança ", regozija-se o francês com a excelente reputação da empresa entre os clientes. Hoje, a ContiTech equipa os modelos das montadoras líderes.

Outro passo importante na expansão estratégica do segmento de ar condicionado é o novo acordo comercial com o Grupo Renault. Particularmente impressionante foi a rede de contatos entre as equipes de desenvolvimento na Alemanha, Romênia e Brasil. Os resultados que alcançaram, também beneficiam agora outros fabricantes de automóveis.

Conquistar o mercado com facilidade

ContiTech Vibration Control também pode mostrar um grande sucesso, do qual todos têm motivos para se orgulharem: Desde 2008, a equipe ContiTech tem desenvolvido inúmeras discussões no sentido de conquistar a FIAT para o desenvolvimento conjunto de soluções, na área de construção de montagem de motores leves. Graças à perícia dos engenheiros da ContiTech, o peso foi reduzido consideravelmente: O produto recém-projetado é feito de material sintético. Hoje, a montadora italiana adquire essas barras estabilizadoras exclusivamente do Controle de Vibração. Esta solução é agora a base para o desenvolvimento de conceitos de montagem de motores - uma verdadeira história de sucesso que levou a uma duplicação dos volumes de produção. Outros fabricantes de equipamento original já declaram também seu interesse nestes produtos.

Caminhões e ônibus em ascensão

O governo brasileiro investe uma quantidade enorme de recursos na infra-estrutura do país, que tem a segunda maior rede rodoviária do mundo, com aprox. dois milhões de km. Mercadorias são principalmente transportadas por navio ou caminhão, enquanto que o tráfego de passageiros se concentra em ônibus.

Na crescente área de caminhões, a Tecnologia de Fluidos ContiTech desenvolveu, pela primeira vez, os tubos hidráulicos e de PTFE para os principais fabricantes. Esses tubos são apropriados para uso em atmosferas potencialmente explosivas, graças à sua condutividade elétrica.

Até agora, os sistemas de molas pneumáticas ContiTech forneceu molas para clientes, tais como Mercedes-Benz do Brasil e do México. "O negócio no setor de caminhões está se tornando cada vez mais importante no setor para nós, e há também um aumento no negócio de ônibus", explica Diethelm Bauch, Chefe do departamento de Equipamento Original para veículos comerciais. Mas ele também vê considerável potencial de crescimento no negócio no setor de peças. A partir do final de 2012, os sistemas de molas pneumáticas terá também uma fábrica em Ponta Grossa, para ser capaz de agir mais próximo do cliente.

O controle antivibração ContiTech também tem vindo a desempenhar um papel cada vez mais importante no mercado local, onde é o único fornecedor de montagens de motores traseiros para caminhões pesados da MAN. Além disso, o Grupo de Transmissão de Energia tem sido bem sucedido na expansão no mercado de caminhões, fornecendo aproximadamente 30.000 correias de transmissão por ano para Ford Cargo.

O negócio no setor de correias Multi V está funcionando sem problemas

O grupo de transmissão de energia ContiTech fornece correias dentadas e multi V para um grande número de modelos de veículos. De acordo com o Gerente de Operações Roberto Ferri, "os sinais também estão definidos para o crescimento contínuo nessa área." Nos últimos anos, por exemplo, as fábricas da Ford foram fornecidas com correias multi V de diferentes empresas. Quando a montadora decidiu trabalhar com alta qualidade de fornecedores globais, a ContiTech ganhou a partida. Os requisitos de qualidade da Ford são altos, por isso tem sido uma honra especial para a equipe do Grupo de Transmissão de Energia, receber o prêmio Q1 da montadora de automóveis: Excelente qualidade, a adesão explícita aos prazos, gestão de custos, grande orientação para o cliente, e garantidos mais altos padrões tecnológicos, são os critérios para o prestigioso prêmio.

"Nós fomos capazes de obter uma vantagem competitiva por sermos altamente inovadores e por oferecermos a melhor tecnologia", afirma Roberto Ferri. "Há quatro anos introduzimos as correias multi-V no mercado local. Passo a passo fomos capazes de ganhar as montadoras mais importantes. " No momento, o Grupo de Transmissão de Energia é nomeado para fornecer as correias Multi-V também à Ford, para um novo projeto de veículo leve a partir de 2013.

Recuperando no comércio de peças de reposição

O comércio de peças de reposição, com correias de transmissão fabricadas pelo Grupo de Transmissão de Energia, para o mercado de acessórios, também participa do significativo erguimento econômico. Esquecidos são os tempos do final da década de 90, quando reinava o ceticismo dentro da equipe, porque a competição era considerada como incrivelmente forte. Hoje em dia, a unidade adquiriu uma quota de mercado de 22 por cento. Este é primeiramente o resultado da estreita colaboração com os distribuidores-chave. Mais de 100 diferentes correias estão disponíveis no próprio armazém, para atender a uma grande variedade de modelos. Proprietários de carros brasileiros muitas vezes mantém os seus veículos durante 16 a 20 anos, o que significa que as peças de reposição são aqui mais necessárias do que, por exemplo, na Europa. Isto representa uma grande oportunidade de vendas para o Grupo de Transmissão de Energia.

As vendas são feitas em São Paulo

O escritório de vendas para essas unidades está localizado em uma das maiores cidades do mundo – a grande São Paulo, onde onze representantes de vendas cuidam das relações com os clientes.

"Esta cidade cosmopolita, combinada com nossas fábricas, é a nossa interface com os clientes estratégicos. Acrescente, a isso, o charme da própria em si metrópole São Paulo, que atrai as pessoas como um ímã. Nossos funcionários querem trabalhar em um lugar que ofereça um grande padrão de vida e eles onde vêem um potencial de bom desenvolvimento para si ", diz Carlos Strelow, Diretor Financeiro e Administrativo da ContiTech, que é muito otimista sobre o futuro econômico do país. Afinal, ele espera que a força de trabalho da ContiTech do Brasil dobre até 2020.

MAIS INFORMAÇÕES

Força inovadora alemã – Made in Brazil

Muitos dos 7 milhões de veículos nas ruas de São Paulo estão equipados com mangueiras, suspensão de motores e sistemas de acionamento fabricados pela ContiTech do Brasil

Força inovadora alemã – Made in Brazil

Da esquerda para a direita: Roberto Ferri, Gerente de Operações do Grupo de Transmissão de Energia e responsável pelo serviço pós-venda, Frédéric Sebbagh, Diretor de Tecnologia de Fluidos e Controle Antivibração e Paulo Martinez, Diretor do Grupo de Correias Transportadoras da ContiTech em Ponta Grossa

Força inovadora alemã – Made in Brazil

Da direita para a esquerda: Elisete Weschenfelder, Gilciele Lemos Boeno, Sirlei Martins e Ruth Ferreira dos Santos produzem correias em forma de V para uma ampla gama de modelos na ContiTech em Ponta Grossa